Você está em: Portal Diabetes > Nutrição e Saúde > Nutrição > Açúcar e seus substitutos – Qual a melhor opção?

Açúcar e seus substitutos – Qual a melhor opção?

Durante muito tempo, o açúcar foi demonizado como a causa do diabetes, e as pessoas com diabetes eram advertidas a não ingerir nenhum açúcar.

Hoje sabemos que não é o caso. Açúcar não causa diabetes. Mas somente em 1993 um grupo de especialistas analisou a literatura científica e não encontrou nenhuma evidência de que o açúcar fosse especialmente perigoso para pessoas com diabetes. A verdade é que o corpo trata o açúcar como qualquer outro carboidrato. Do mesmo modo, não existe nenhuma diferença entre os efeitos dos açúcares naturais, tais como aqueles das frutas ou do mel, e do açúcar de mesa e refinado nos níveis de glicose no sangue. Certamente você precisa monitorar seus carboidratos na dieta para controlar sua glicose no sangue, mas o açúcar pode ser parte (uma pequena parte!) de uma dieta saudável e equilibrada.

Açúcares

Colheres de açucar

Não é nenhuma surpresa encontrar açúcar em alimentos como geleias, doces e bolos — mas o açúcar também é encontrado em muitos alimentos processados, como sopas enlatadas, molhos para saladas, ketchup e molho de espaguete.

Então, quando você ler as informações nutricionais, o que você precisa procurar? Não apenas “açúcar”, mas também o tipo de açúcar. Por exemplo, o açúcar de mesa contém sacarose, uma molécula de açúcar. A sacarose em si é constituída por glicose e frutose. Outros produtos doces também podem conter glicose e frutose — como o mel. Em outras palavras, os edulcorantes naturais e refinados são feitos das mesmas moléculas de açúcar (Tabela, na coluna chamada Tipos de açúcar). Estas são as moléculas de açúcar que você deve procurar nas informações nutricionais.

Então, algum açúcar é melhor ou pior para o controle da glicose no sangue em pessoas com diabetes? Não. Para o corpo, os açúcares são carboidratos, e são tratados como qualquer outro carboidrato. Contudo é importante estar ciente da controvérsia em torno do xarope de milho rico em frutose, um adoçante comum em alimentos processados. Como os refrigerantes adoçados com xarope de milho rico em frutose parecem estimular o apetite, eles foram ligados à epidemia de obesidade. Além disso, eles são ricos em calorias e carboidratos: 12 oz (ou 350 ml) de refrigerante à base de cola pode conter 140 calorias e 39 gramas de carboidratos. É sempre importante ler os rótulos dos produtos e limitar a ingestão de alimentos e bebidas que contenham xarope de milho rico em frutose.

Álcool de açúcar

Álcoois de açúcar podem ocorrer naturalmente ou ser fabricados6. Eles incluem sorbitol, manitol, xilitol e lactitol. Na maioria das vezes, esses adoçantes são encontrados em produtos rotulados “sem açúcar” ou “sem adição de açúcar”.

O corpo não absorve álcoois de açúcar completamente, então a ingestão de uma grande quantidade pode causar diarreia. Álcoois de açúcar são listados como carboidratos nas informações nutricionais1. Embora os álcoois de açúcar aumentem a glicose no sangue de forma mais lenta do que os açúcares, eles ainda causam impacto6. Um dos benefícios dos álcoois de açúcar, no entanto, é a incapacidade das bactérias na boca de metabolizar álcoois de açúcar, de modo que não eles contribuem para o desenvolvimento de cavidades.

Dica prática
Quando você estiver lendo as informações nutricionais nas embalagens dos alimentos:

  • Uma palavra que termina em “ose” refere-se a um açúcar
  • Uma palavra que termina em “ol” refere-se a um álcool

Substitutos de açúcar

Atualmente, as pessoas com diabetes podem escolher entre uma grande variedade de substitutos de açúcar que não afetam a glicose no sangue. Aqui está um resumo dos substitutos de açúcar disponíveis mundo afora:

  • Sacarina: Disponível apenas como adoçante de mesa. O adoçante mais antigo, sacarina é 300 vezes mais doce que o açúcar e tem um sabor residual amargo.
  • Aspartame: Em alimentos e bebidas, e disponível como adoçante de mesa. O aspartame é 200 vezes mais doce que o açúcar, e é comumente encontrado em cereais, doces e refrigerantes.
  • Ciclamato: Disponível apenas como adoçante de mesa. É 30 vezes mais doce que o açúcar, não tem sabor residual, e é estável ao calor, então mantém a doçura em alimentos cozidos ou assados.
  • Sucralose: Em alimentos e bebidas, e disponível como adoçante de mesa. A sucralose é 400 a 800 vezes mais doce do que o açúcar, e porque é estável a temperaturas altas e baixas, pode ser utilizado em alimentos assados e congelados.
  • Acessulfame de potássio (ace-K) : Somente em alimentos e bebidas embalados. Este novo adoçante é 200 vezes mais doce que o açúcar. As pessoas que são alérgicas a sulfa (alguns antibióticos) ou que precisam restringir o potássio em suas dietas devem conversar com seus médicos sobre o uso desse adoçante.

Sacarina e ciclamato não estão disponíveis em alimentos ou bebidas, uma vez que estes edulcorantes deve ser evitados durante a gravidez. Os adoçantes encontrados em alimentos embalados ou bebidas são seguros durante a gravidez.

Escolhendo entre açúcar e substitutos de açúcar

Então como você decide se quer usar açúcar ou um substituto de açúcar? Moderação é a chave para ambos os tipos de adoçantes.

Substitutos de açúcar não representam um risco para a saúde quando usados em níveis normais. Ao escolher um alimento que contém um substituto de açúcar, é importante saber o teor de calorias, pois “sem açúcar” não significa, necessariamente, de baixa caloria.

Da mesma forma, muitos alimentos que contêm açúcar são ricos em calorias, como muitas sobremesas. Pessoas com diabetes podem comer alimentos com açúcar — de preferência, os saudáveis, como as frutas! Se estes alimentos são consumidos com uma refeição equilibrada, eles são digeridos mais lentamente do que se o alimento doce for comido como um lanche.

Conclusão

Enquanto você controlar a sua dieta, incluindo o teor de calorias e de carboidratos das refeições, a escolha entre açúcar e um substituto de açúcar é sua — basta usar moderação. Se você não tem certeza do que é melhor para você, converse com seu nutricionista.

As informações aqui apresentadas não devem ser interpretadas como conselhos médicos. A Bayer recomenda que você consulte o seu profissional de saúde.

Fontes:

1. Wheeler M, Mazur ML. Sugars & diabetes. Disponível em http://www.nfb.org/Images/nfb/Publications/vodold/sugars.htm. Acessado em 5 de abril, 2011.

2. Where is the sugar hiding? About.com Type 2 diabetes. Disponível em http://diabetes.about.com/od/nutrition/qt/wheressugar.htm. Acessado em 5 de abril, 2011.

3. How sweet it is: a glossary of types of sugar & syrup types. The Nibble. Disponível em http://www.thenibble.com/reviews/main/honey/sugar-syrup-glossary7.asp. Acessado em 7 de abril, 2011.

4. Keatley M. Crash course on sugar. Disponível em http://www.health-bent.com/nutrition/crash-course-on-sugar. Acessado em 12 de abril, 2011.

5. Coca Cola Nutrition Facts. Lance Armstrong Foundation, Disponível em http://www.livestrong.com/thedailyplate/nutrition-calories/food/coca-cola/. Acessado em 7 de abril, 2011.

6. Sugar and sweeteners. Canadian Diabetes Association. Disponível em http://www.diabetes.ca/. Acessado em 5 de abril, 2011.

7. Cronier C. Sweeteners—sweet choices. Canadian Diabetes Association. Disponível em http://www.diabetes.ca/diabetes-and-you/nutrition/sweeteners/. Acessado em 5 de abril, 2011.